SE INSCREVE NO NOSSO CANAL:

PUBLICIDADE rp

publi

Bárbara Mori (ETERNA RUBI)- abre o seu coração: “Avancei pelo amor dos meus irmãos”.

Durante a pandemia, Bárbara Mori deu início a um processo criativo que culminou na realização de um curta-metragem inspirado em sua infância e na de seus irmãos, projeto que será transformado em longa-metragem no próximo ano. Poucos dias após a estreia da obra no Festival de Cinema de Guanajuato, a atriz voltou a assistir a esta festa cinematográfica para participar do fórum Violência Zero contra a Mulher, abriu o coração e compartilhou um pouco de seu depoimento, situação que a levou a escreva essa história que se tornou um processo muito curativo, como ela confessou durante uma apresentação em que o tema da violência doméstica, tema central de seu curta, foi abordado. Mais sincera do que nunca, Bárbara revelou que, além dos maus tratos de seu pai, ela e seus irmãos também tiveram que lidar com a ausência da mãe: “Fui na frente por causa do amor dos meus irmãos que os acompanhavam. eu, porque cresci mesmo sem mãe e fomos na frente, justamente por esse amor que construímos ao longo dos anos. Foi um processo muito difícil, não foi fácil para mim, demorei muitos anos, meus irmãos também, para conseguir me recuperar da violência ”, comentou, segundo informações do Ventaneando. Com sua experiência, ele busca ajudar crianças que estão passando por algo semelhante: “Para as crianças que estão sofrendo violência, eu diria para elas procurarem as autoridades, não permitirem, denunciarem”. Bárbara aproveitou o momento para enviar uma mensagem às pessoas que, neste momento, são vítimas de violência: “Por isso é muito importante que esta mensagem saia forte, porque a violência te marca e te marca muito. Gera padrões de comportamento destrutivos até em você, então é importante que as pessoas que estão vivenciando a violência façam todo o possível para sair de lá, façam todo o possível para se recuperar, se reconstruir, fazer terapia ”. A atriz garantiu que este trabalho tem uma missão muito especial: “A minha intenção com este curta-metragem que fiz e com a longa-metragem que quero fazer, que é a minha forma de expressão, é trazer-vos um olhar de esperança onde houver é uma luz no fim do caminho, porque quando eu era criança, não sabia que tinha chance, não sabia que poderia sair daquela escuridão como muitas pessoas que estão sofrendo violência ”. Na semana passada, durante a estreia do curta-metragem em Guanajuato. Bárbara reconheceu essa história como uma catarse para curar vários problemas do passado: “Quando comecei a escrever o roteiro, houve um momento em que tive que parar, porque senti que, como escritor, estava julgando o personagem que interpreta o pai das meninas muito, ou quer dizer, meu pai, como se ele estivesse apontando muito. Porque ao mesmo tempo que escrevia, estava perdoando meu pai e não foi planejado. De repente, fui fazer terapia e eles me falaram: 'Você tem que curar e perdoar seu pai' e eu já estava escrevendo esse roteiro, então, quando terminei todo esse processo de perdão, continuei escrevendo e a história pegou o outro lado e Eu saí para julgá-lo ”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Famosos e tv agradece o carinho, fique ligado em nosso site- somos grato a você leitor.

PUBLICIDADE

Publicidade

Publicidade rp